Rubens Jardim

A poesia é uma necessidade concreta de todo ser humano.

Meu Diário
07/06/2018 14h11
É PRECISO PREPARAR-SE PARA TUDO

Fuçando em busca de registros e comprovantes, reencontro essa imagem e esse texto de cartinha escrita aos meus pais.Achei tão bonita que divido com os amigos.

"É sempre assim.É preciso um duelo (ou um elo invisível) para arrancar de si, ou do tecido mais fundo da vida, aquilo que pode representar nossos vislumbres. Nossas percepções estão muito próximas aos relâmpagos.São extremamente transitórias e iluminam, com rapidez indizível, apenas parcelas ainda indiferenciadas da totalidade. E é sempre diante, durante, defronte --ou dentro--que buscamos arrancar desse tosco e tênue tecido, as urdiduras que nos expressam e os teares onde fomos forjados. Tenho viajado muito pra essas regiões da origem. E se tenho ido e voltado de mãos limpas, posso assegurar que o coração está lavado --e rejuvenescido...A questão fundamental é estar preparado para tudo.Para o viver da plenitude e o conviver das delícias.E também para restaurar as ranhuras do tempo e reencontrar, no espaço intato, as formas que ficaram entranhadas na memória. Nexos quase imperceptíveis.Atalhos, Fragmentos e percursos.Percalços.
Nada permanece por acaso.E tudo permanece..."(trecho de carta escrita aos meus pais, há muitos anos, e redescoberta agora na casa do mato.Fiquei emocionado com as questões abordadas.Todas complicadas. Mas carregadas de confiança na dimensão humana que o amor pode conferir a qualquer um de nós. Saudade de falar com vocês. Ou escrever pra vocês.Beijão meu pai e minha mãe. Na foto, na Vila Itambé, tia Concha, meu pai e minha mãe.Agachados: eu, meu primo Dimas, minha irmã Maria Elisa e meu irmão Eduardinho)


Publicado por Rubens Jardim em 07/06/2018 às 14h11
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
01/06/2018 17h19
A HISTÓRIA DA POESIA FEMININA NO BRASIL

Até o nosso ex-ministro da Educação, filósofo e professor Renato Janine Ribeiro dá aval ao primeiro e-book da série As Mulheres Poetas.Serão três livros digitais. Esse primeiro reúne poetas do século 18 até as nascidas em 1953. Todos os livros virtuais serão gratuitos. E no ano que vem vamos bater na porta de editoras para mendigar a transformação deles em livros impressos. O trabalho de resgate prossegue.

 


Publicado por Rubens Jardim em 01/06/2018 às 17h19
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/05/2018 16h09
A história da poesia feminina no Brasil

O primeiro volume da série AS MULHERES POETAS já está pronto.É gratuito e pode ser acessado e lido se você clicar nesse link: https://issuu.com/rubensjardim/docs/livro_mulheres_poetas_a1

 A apresentação é da premiada escritora, Maria Valeria Rezende, também envolvida e liderando um movimento semelhante: o Mulherio das Letras.

Esse trabalho de pesquisa e garimpo, em diversas regiões do Brasil, durou pouco mais de 6 anos e foi publicado em meu blog rubensjardim.com , nos dois espaços que tenho no facebook (Rubens Jardim e Rubens Jardim poeta), em sites e blogs parceiros (Cult, Vidráguas, Sarau de Mulheres,etc).

Foram realizadas 101 postagens, em geral com 4 poetas e 4 poemas cada uma. Portanto, são mais de 400 poetas e mais de 1600 poemas.Na transposição da série para livrinhos digitais (e-books) resolvi adotar o critério cronológico para facilitar a vida do leitor.Acho que desse modo fica mais clara a percepção do que se convenciou chamar de estilo da época. Ou seja: o conjunto de traços e normas que orientam e caracterizam a produção de arte em determinado período histórico.

Resta desejar a você: boa leitura.


Publicado por Rubens Jardim em 30/05/2018 às 16h09
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
 
28/05/2018 00h02
A POESIA NÃO COMPRA SAPATO.MAS COMO CAMINHAR SEM ELA?

Fiz o lançamento desse livrinho ontem, no Patuscada, na minha festa de aniversário compartilhada com o Eduardo Lacerda e a Rosana Piccolo. Como sabia que essa festa ia bombar, levei 50 exemplares. Cheguei até imaginar que iriam faltar livros, embora não seja nem um pouco otimista em relação a isso. Pois bem: vendi apenas 14 exemplares. Quem quiser colaborar com este velho poeta que ousou custear a própria edição, basta enviar mensagem para o meu endereço eletrônico: re.jardim@uol.com.br. Terei maior prazer em autografar e enviar o livrinho. Mas tem um detalhe: o preço é apenas 10 reais+ despesa do correio. Ok? (As imagens reproduzem a capa, a 3ª capa e a 4ª capa)


Publicado por Rubens Jardim em 28/05/2018 às 00h02
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
27/05/2018 23h43
SARAU AS MULHERES POETAS

Na história da literatura brasileira, a poesia criada por mulheres foi constantemente diminuída e boicotada, sendo, por isso, menos conhecida. Para dar visibilidade às poetas contemporâneas, a Casa das Rosas promoveu dia 26 de maio, sábado, às 19h00, o Sarau das Mulheres. O museu integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

O evento reuniu algumas das poetas que integram a pesquisa do organizador do sarau, Rubens Jardim, que divulga há mais de seis anos a poesia escrita por mulheres. Ádyla Maciel, Beth Brait Alvim, Betty Vidigal, Carolina Montone, Claire Feliz Regina, Clara Baccarin, Esther Alcântara, Lenita Estrela de Sá, Luiza Silva Oliveira, Márcia Maranhão de Conti, Rita Alves, Rosana Banharoli, Silvia Maria Ribeiro, Adriana Veraldi, Paula Valéria Andrade e Valéria Tarelho, poetas de diferentes gerações, compartilham com o público seus trabalhos.

A poeta Lenita Estrela de Sá acabou não vindo de sua terra natal, Maranhão, especialmente para participar do evento,em consequência dos problemas de mobilidade ocasionados pela greve dos caminhoneiros. Mas outra poeta que não vive em São Paulo,Márcia Maranhão de Conti saiu de Goiânia para mostrar seus poemas ao público da Casa das Rosas. Aos 80 anos Claire Feliz Regina começou a escrever seus poemas e, depois de três livros publicados e muita experiência em apresentações nos saraus da cidade de São Paulo, participa do Sarau de Mulheres compartilhando seus poemas eróticos.


Publicado por Rubens Jardim em 27/05/2018 às 23h43
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 10 de 74 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras