Rubens Jardim

A poesia é uma necessidade concreta de todo ser humano.

Meu Diário
03/07/2018 00h10
TENHO RECEBIDO MUITOS PRÊMIOS...

Nunca fui premiado pois não participo de concursos. Não gosto e não sou competitivo.Mas tenho recebido muitos prêmios. Este é um deles vindo da poeta e escritora Beatriz Helena Ramos Amaral.

Este maravilhoso projeto de Rubens Jardim é um grande e especial presente deste poeta tão generoso com a arte, a poesia, a cultura e a literatura - para nós. Um presente para nós, poetas mulheres brasileiras. Um presente para leitores, professores e pesquisadores. E, sem dúvida, para a própria Poesia. É uma honra fazer parte. Rubens merece todos os aplausos, pois, mantendo ativa sua vibrante produção individual, também organiza e coordena muitos projetos sempre voltados à divulgação da literatura, ao congraçamento, ao encontro e aos diálogos. Parabéns, Rubens, por fertilizar de arte o nosso cotidiano e o nosso universo.


Publicado por Rubens Jardim em 03/07/2018 às 00h10
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
03/07/2018 00h06
EU E A ALMA

Recebi da escritora, cantora, arte educadora e feminista, Anna Miranda Miranda ,este belo poema que divido com os amigos.

ALMA

     para Rubens Jardim

A alma 
Em sua doçura ludica
Salta de.mim em circunstâncias acrobáticas

Trickster divino?
Fantasma revivido?

A alma salta em meio ao pavor 
Debruça sarcasmo escárnio 
Apavora
Cobrando felicidade

Certamente uma alma como a minha
Não morre
Vejo-a desenhada no muro do jardim
Transparecendo na água na noite
Oh! Sim! Respira resguardada
No sopro do café quente

Como pode ela saltar de mim se ela sou eu??


Publicado por Rubens Jardim em 03/07/2018 às 00h06
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
03/07/2018 00h02
Eu, Zuleika dos Reis,Eunice Arruda, Massao e Alvaro Alves de Faria.

"A poesia está presente em toda atividade humana, desde a mais sórdida até a mais sublime, de onde a minha predileção por poesia basicamente. Praticamente todas as obras,até no jornal cotidiano você nota que existe uma carga de poesia. No jornal mais comum pode haver uma carga de poesia na própria notícia. Enfim, é uma questão de ponto de vista, no caso. O próprio ato de viver talvez seja o resultante máximo de tudo que se possa pensar em termos de poesia. Enfim, o homem e a poesia são inseparáveis, são inalienáveis." (Palavras do editor Massao Ohno no documentário DIÁLOGOS MASSAO OHNO – POESIA PRESENTE, com direção da Paola Prestes, 2015).


Publicado por Rubens Jardim em 03/07/2018 às 00h02
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
 
27/06/2018 17h25
O POETA DO GRANDE SERTÃO

Meu amado Guimarães Rosa estaria fazendo 130 anos hoje, se estivesse vivo. Há 10 anos fiz um livrinho em sua homenagem e lancei na 1ª Bienal Internacional de Literatura de Brasília. Se quiser acessar e ler,basta clicar no link https://rl.art.br/arquivos/507267.pdf?1528125713 (baixa o arquivo em pdf) ou neste link do ISSUU https://issuu.com/rubensjardim/docs/507267 (leitura na tela)


Publicado por Rubens Jardim em 27/06/2018 às 17h25
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
 
26/06/2018 13h08
COMENTÁRIO DA POETA MARANHENSE LENITA ESTRELA DE SÁ

Os poemas de Rubens Jardim, reunidos na Antologia de Poemas Inéditos, lançada recentemente, deixam-nos muito gratificados após a leitura, que fiz de uma assentada. Neles o poeta demonstra pleno domínio de seu ofício, em alguns deles rendendo homenagem a ilustres predecessores como Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto e Jorge de Lima. Encanta-nos, sobretudo, a leveza do verso, sem dispensar a precisão da palavra; a diversidade temática; a riqueza de imagens. A poesia é geratriz de sonho e insurreição (“Reflexão” e “Bagagem”, p.5), expressão do alumbramento amoroso (‘Encontro”, p.10) e vetor de transformação social (“Resistência”, p.12), construída com palavra diamantada, que permite espiar “os dois lados das coisas” (“Ambiguidade”, p.9). O sentimento correlato à saudade da Itabira drummondiana ilumina o poema “Vila Itambé” (p. 5 e p.15) , no qual Rubens Jardim proclama a força das primeiras vivências, a densidade do lugar considerado estruturante de sua cosmovisão: “Aquela casa está dentro de mim / como a chama está dentro do fogo / como a voz está dentro do eco / como a língua está dentro da boca”. Não falta à Antologia de Poemas Inéditos um dos traços mais marcantes do poeta, qual seja, a preocupação com o outro, com a coletividade, que torna a poesia um instrumento de libertação, como exprime em “A vida não é isso”: “(...) A vida é mais que o prazer episódico / A vida é mais que o prazer / A vida é mais / Se todos nós estivéssemos de mãos dadas.”
Por fim, destaco o sonhador e o idealista, que tanto faz pela literatura brasileira, ao aglutinar tantos poetas em torno de si, na cena dos saraus em São Paulo, sem nunca perder o entusiasmo, o vigor e a crença na força continuamente renovadora da poesia (“Solidão”, p.16): “Não somos animais de luxo / Nem vivemos em um parque temático / A vida é uma criação social / E meu bando tá desaparecendo / Diminuindo / Minguando / Mas eu continuo / gritando / sozinho em Woodstock!”


Publicado por Rubens Jardim em 26/06/2018 às 13h08
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 8 de 74 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras