Rubens Jardim

A poesia é uma necessidade concreta de todo ser humano.

Meu Diário
04/01/2018 00h19
O LUGAR DO POETA

“O poeta moderno não tem lugar na sociedade porque, efetivamente, não é ninguém. Isto não é uma metáfora: a poesia não existe para a burguesia nem para as massas contemporâneas.”

Sábias palavras de quem foi agraciado até com o prêmio Nobel e, nem por isso, perdeu o foco e a lucidez: Octavio Paz.


Publicado por Rubens Jardim em 04/01/2018 às 00h19
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/01/2018 14h13
AS MULHERES POETAS VÃO VIRAR LIVROS DIGITAIS

AS MULHERES POETAS DE 2017 – Após esse ano péssimo para a maioria de nós, brasileiros, ninguém quer saber de retrospectivas. Eu também. Mas faço exceção ao bom e competente trabalho de nossas mulheres poetas. E pra deixar isso claro segue um pequeno histórico.
Iniciei meu blog no Recanto de Letras em 2006. Desde essa época vinha me dedicando a divulgar os meus gurus (Rilke, Nietzsche, Guimarães Rosa, Henry Miller, Eliot, Octavio Paz e tantos outros), minhas atividades poéticas e boa parte do que considero poesia brasileira de qualidade.
Acontece que em 2011, após verificar o pouco caso em relação ao trabalho das mulheres poetas, resolvi fazer um imenso desabafo. E esse desabafo acabou virando cruzada, capítulo de novela e virou meu blog de ponta cabeça. Agora só me dedico a elas: AS MULHERES POETAS...
Já foram divulgadas mais de 400 poetas e mais de 1600 poemas publicados. Também divulgo as mulheres poetas e seus poemas, diariamente, nos 2 espaços que tenho no facebook e em espaços democráticos como Vidráguas, Cult, Sarau SP e outros.
Só neste ano de 2017 consegui reunir 252 poemas de 63 poetas. Elas foram vistas e acessadas 103.396 vezes. Ou seja: uma média de 8616 visitas diárias, só no blog.Pra quem estiver interessado, seguem os links e os nomes das poetas. E um aviso: encerrei essa pesquisa e estou iniciando a transformação dessa série em livrinhos digitais. Assim que eles ficarem prontos, aviso os amigos. Em seguida pretendo conseguir transformar esse trabalho em livros impressos. Vamos ver se alguma editora se habilita. 
Que 2018 não seja tão pesado pra nós todos. 
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=49697
Elisangela Braghini, Julianna Motter,Carina Carvalho e Karen Debertolis
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=49966
Esther Proença Soares, Esmeralda Ribeiro, Lenita Estrela de Sá e Karin Krogh
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=50130
Tereza Vignoli, Norma de Souza Lopes,Pollyanna Furtado e Ádyla Maciel
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=50287
Mariajosé de Carvalho, Adelaide Ivanova, Jenniffer Nascimento e Amanda Vital.
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=50449
Zulmira Ribeiro Tavares, Claudia Manzolillo, Michelle Ferret e Marina Rabelo
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=50726
Conceição Evaristo, Mariana de Almeida, Mariana Basilio.
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=50898
Geni Guimarães, Hercília Fernandes, Lisa Alves e Clara Baccarin
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51125
Alicia Duarte Penna, Marcela Maria Azevedo, Luna Vitrolira, Adélia Danielli
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51336
Claudia Quintana, Patrícia Claudine Hoffmann, Luiza Romão e Luiza Midlej
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=50898
Geni Guimarães, Hercília Fernandes, Lisa Alves e Clara Baccarin
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51125
Alícia Duarte Penna, Marcela Maria Azevedo, Luna Vitrolira e Adélia Danielli
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51336
Claudia Quintana, Patrícia Claudine Hoffmannn, Luiza Romão e Luiza Midlej
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51457
Fernanda Cruz Filha, Adriana Godoy, Pâmela Filipini e Natasha Felix
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51654
Beatriz Azevedo, Roza Moncayo, Cássia Janeiro e Gabriela Silva
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51761
Vera Albuquerque, Helena Ortiz, Maria Balé e Bianka de Andrade
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51902
Wanda Monteiro, Iara Carvalho, Bruna Kalil Othero e Juliana Amato
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=51996
Malu Verdi, Tatiana Pequeno, Cris de Souza e Yasmin Nigri
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=52138
Leila Ferraz, Luciane Lopes, Isabela Penov e Carla Carbatti
http://www.rubensjardim.com/blog.php?idb=52289
Rosália Milszjain, Myrian Asfora, Tatiana Alves, Maria Giulia Pinheiro, Thaís Bravo, Chantal Castelli, Rita Isadora Pessoa, Lilian Sais


Publicado por Rubens Jardim em 02/01/2018 às 14h13
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/01/2018 12h59
MUSA FUGIDIA

Como bem registrou o poeta e professor Antonio Vicente Seraphim Pietroforte, no prefácio, a poesia não pode ser definida apenas em um discurso. Suas definições devem se perder nos numerosos diálogos em que se busca por ela.Pois foi exatamente esse o fio condutor de Musa Fugidia, livro organizado pelo também poeta Edson Cruz.  A obra, da editora Moinhos, tem depoimentos de poetas de todo o Brasil, e do exterior, respondendo às seguintes perguntas: O que é a poesia pra você? Quais as leituras fundamentais para se trilhar a vereda da Poesia? Quais as principais dicas pra quem está iniciando? Seguem algumas tentativas de agarrar essa musa.
O que é a poesia pra você?
É saber usar a língua para extrair gemidos, uivos e palavras obscenas das mulheres mais vagabundas. (Ademir Assunção)
Linguagem em estado de aventura (Adriano Espínola)
Poesia é o espanto transverberado (Affonso Romano Santanna)
Uma teimosa mosca na sopa (Alfredo Fressia)
Uma espécie de síntese superior de tudo quanto você for capaz de pensar e sentir.(Carlos Felipe Moisés)
Poesia é transformação e transfiguração(Felipe Fortuna)
Na poesia menos é sempre mais (Frederico Barbosa)
A poesia é uma metralhadora na mão de um palhaço(Glauco Mattoso)
A poesia é um nó que não depende de nós (Lau Siqueira)
É um passaporte para o outro, para outros modos de ser e estar no mundo(Rodrigo Garcia Lopes)
É o lado terrível da inocência(Rodrigo Petronio)
A poesia pode ser um vício, uma infantilidade --e até mesmo uma doença não diagnosticada (Rubens Jardim)


Publicado por Rubens Jardim em 02/01/2018 às 12h59
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/01/2018 12h53
(em Assim Falava Zaratustra)

TRECHO MARAVILHOSO DO CANTO NOTURNO DE NIETZSCHE
"É noite, falam agora mais fortemente todas as fontes borbulhantes. E a minha alma também é uma fonte borbulhante.
É noite; acordam agora todas as canções dos amantes. E também a minha alma é uma canção de amante." 

(na tradução as últimas palavras são "canção amorosa". não gostei e alterei por canção de amante )


Publicado por Rubens Jardim em 02/01/2018 às 12h53
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/01/2018 11h53
O POETA DE ZARATUSTRA

"A linguagem simbólica pode ter sido a forma que Nietzsche encontrou de escapar ao aprisionamento da gramática, de superar a pressão da linguagem, sair do círculo percorrido
pelos filósofos e não ficar somente na intelectualidade – não ser apenas mais uma repetição. Zaratustra não quer conservar – ele veio para transformar, para inovar"
(extraído da dissertação de mestrado de Ester Fridman.Só há poucos dias fiquei sabendo de nossa paixão comum por Nietzsche.Particularmente pelo Zaratustra, lido em períodos diferentes de nossas vidas: eu qdo adolescente e ela já mulher feita.)

Sempre achei o Zaratustra um tremendo poema, desde a primeira vez que li, na adolescência.Voltei a ele infindáveis vezes e essa primeira impressão era sempre confirmada. Até hoje é assim. Esse bigodudo martelava a linguagem e transgredia princípios e valores. E fico feliz com a hipótese trabalhada por Ester: ela é coincidente com a minha percepção instintiva de que o Zaratustra é um livro escrito em linguagem simbólica, que é a linguagem dos criadores e dos poetas. E tem mais: nessa dissertação a autora sugere que esse processo utilizado por Nietzsche, no Zaratustra, é para espíritos não-gregários, uma vez que não foi escrito em uma linguagem gregária.


Publicado por Rubens Jardim em 02/01/2018 às 11h53
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 3 de 50 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras