Rubens Jardim

A poesia é uma necessidade concreta de todo ser humano.

Textos

OSCILAÇÃO

Ando por aí
paro em qualquer lugar.
Bebo guaraná
e vejo que Deus está
numa casa nova
e você sorrindo
por dentro. Por isso
tomemos um rum
neste lugar onde tudo
o que era já não é.

Diga aonde e quando
o amor é explicável.
Mas não repita
as ladainhas de sempre.

Meu coração é sinistro
e não está no seguro.

Tudo é justificável, claro.

Mas às vezes eu preciso ir
Não sei para onde
mas eu preciso ir.

Sou hostil ao meu tempo:
não uso relógio
e não suporto o mundo.

Por isso escrevo
quieto no meu canto.

Falo pouco, ouço nada
e vejo menos ainda.

Mas minha pele sente o sol
e arde com o sal desses
mares já antes navegados.

Camões é referência, amor.

Pessoa é paixão
--sem fim e sem começo.

Por isso diga
Diga sem frescuras
quanto custou essa mistura
essa domesticação dos desejos.

É claro que toda porta se abre
e se fecha e não adianta
o sábio explicar o combate
das substâncias.
O amor oscila entre dois
opostos: o cárcere e o refúgio.
Rubens Jardim
Enviado por Rubens Jardim em 22/09/2008
Alterado em 02/05/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras