Rubens Jardim

A poesia é uma necessidade concreta de todo ser humano.

Meu Diário
28/11/2018 16h19
Um poeta amigo, Péricles Prade, já disse que a poesia é a verdadeira pedra filosofal, o ouro supremo da palavra, a quint

 Cesar Augusto de Carvalho, meu parceiro no Sarau Gente de Palavra Paulistano  "psicografou" todas as minhas emoções da noite poética de ontem, em homenagem ao poeta e ator Claudio Laureatti.

UMA NOITE MÁGICA -- Saraus poéticos são sempre alegres. Nunca participei de nenhum onde imperasse melancolias ou tristezas. Mas, ontem à noite, no Gente de Palavra, sarau abrigado pela casa da poesia, a Livraria Patuscada, do querido amigo Eduardo Lacerda, aconteceram coisas impossíveis de serem descritas.
Desde o início, eram mais de 8:30h, um amigo do Claudio Laureatti, o poeta homenageado, enredou-nos na sonoridade de sua harmônica cantando Luiz Gonzaga. Depois, aberto oficialmente o evento, com a introdução de Rubens Jardim, me diverti à beça com os poetas convidados e seus depoimentos e leituras. Laureatti, por sua vez, não deixava por menos, animador cultural que é, interferia ora com sua voz, ora com a movimentação de seu corpo, deixando-nos com um enorme sorriso na boca.
Confesso, apresentar cada um dos poetas com meu jeito seco e direto, foi uma diversão.
Terminado o sarau, caminhando pelas ruas da Vila Madalena, de volta para casa, lembrei-me da inutilidade da poesia proclamada por LeminskI. Ele tem razão, a inutilidade serve para gerar o que de melhor se pode fazer neste mundo maluco: celebrar a vida.
Meu muito obrigado ao Laureatti por proporcionar esta festa, ao Rubens Jardim por enredar-me nas línguas desta Gente de Palavra e, claro, meu muitíssimo obrigado aos poetas que nos prestigiaram com sua voz e simpatia.

o poema é inútil
não cheira, nem fede
soa (*).

(*) do livro Curto-circuito, a ser editado em breve.


Publicado por Rubens Jardim em 28/11/2018 às 16h19

Site do Escritor criado por Recanto das Letras