Rubens Jardim

A poesia é uma necessidade concreta de todo ser humano.

Meu Diário
27/06/2018 17h25
O POETA DO GRANDE SERTÃO

Meu amado Guimarães Rosa estaria fazendo 130 anos hoje, se estivesse vivo. Há 10 anos fiz um livrinho em sua homenagem e lancei na 1ª Bienal Internacional de Literatura de Brasília. Se quiser acessar e ler,basta clicar no link https://rl.art.br/arquivos/507267.pdf?1528125713 (baixa o arquivo em pdf) ou neste link do ISSUU https://issuu.com/rubensjardim/docs/507267 (leitura na tela)


Publicado por Rubens Jardim em 27/06/2018 às 17h25
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
 
26/06/2018 13h08
COMENTÁRIO DA POETA MARANHENSE LENITA ESTRELA DE SÁ

Os poemas de Rubens Jardim, reunidos na Antologia de Poemas Inéditos, lançada recentemente, deixam-nos muito gratificados após a leitura, que fiz de uma assentada. Neles o poeta demonstra pleno domínio de seu ofício, em alguns deles rendendo homenagem a ilustres predecessores como Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto e Jorge de Lima. Encanta-nos, sobretudo, a leveza do verso, sem dispensar a precisão da palavra; a diversidade temática; a riqueza de imagens. A poesia é geratriz de sonho e insurreição (“Reflexão” e “Bagagem”, p.5), expressão do alumbramento amoroso (‘Encontro”, p.10) e vetor de transformação social (“Resistência”, p.12), construída com palavra diamantada, que permite espiar “os dois lados das coisas” (“Ambiguidade”, p.9). O sentimento correlato à saudade da Itabira drummondiana ilumina o poema “Vila Itambé” (p. 5 e p.15) , no qual Rubens Jardim proclama a força das primeiras vivências, a densidade do lugar considerado estruturante de sua cosmovisão: “Aquela casa está dentro de mim / como a chama está dentro do fogo / como a voz está dentro do eco / como a língua está dentro da boca”. Não falta à Antologia de Poemas Inéditos um dos traços mais marcantes do poeta, qual seja, a preocupação com o outro, com a coletividade, que torna a poesia um instrumento de libertação, como exprime em “A vida não é isso”: “(...) A vida é mais que o prazer episódico / A vida é mais que o prazer / A vida é mais / Se todos nós estivéssemos de mãos dadas.”
Por fim, destaco o sonhador e o idealista, que tanto faz pela literatura brasileira, ao aglutinar tantos poetas em torno de si, na cena dos saraus em São Paulo, sem nunca perder o entusiasmo, o vigor e a crença na força continuamente renovadora da poesia (“Solidão”, p.16): “Não somos animais de luxo / Nem vivemos em um parque temático / A vida é uma criação social / E meu bando tá desaparecendo / Diminuindo / Minguando / Mas eu continuo / gritando / sozinho em Woodstock!”


Publicado por Rubens Jardim em 26/06/2018 às 13h08
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/06/2018 17h23
A poeta Dagmar Braga fazendo leitura do meu livro.

PRESENTE TÃO BOM A GENTE MOSTRA

A poeta Silvia Maria Ribeiro esteve em Belô e encontrou sua amiga, a poeta Dagmar Braga Guarani Kaiowá. E me enviou esta foto da poeta mineira, (ela já foi finalista do Jabuti em 2009), com meu livrinho nas mãos.E um recado batuta: ela gostou demais desse meu último livro. Se você tiver interesse, escreva para o meu e-mail re.jardim@uol.com.br  Esse livrinho custa 10 reais + despesa de correio (varia de 4,15 a 6 reais).


Publicado por Rubens Jardim em 25/06/2018 às 17h23
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
 
25/06/2018 13h57
LEIA UM DOS MELHORES POETAS DO BRASIL

"Rubens, estou aturdida e meio elétrica com seu texto colagem. E, claro, com o chamuscante Jorge de Lima. Meodeos! Sinto que estou entrando na órbita de um buraco negro cuja voragem anseio e me tira o ar. Obrigada mesmo por este presente, querido Rubens. Você acertou em cheio o meu coração."

Comentário da jornalista e escritora Lucy Dias, autora do premiado e maravilhoso Anos 70-Enquanto Corria a Barca. Ela se referia ao livro que fiz em 1973, Jorge,80 Anos, pontapé inicial de um movimento maior, ANO JORGE DE LIMA, que liderei em prol da recuperação da obra poética do poeta alagoano. Apoiaram e colaboraram com este movimento poetas e escritores muito importantes da literatura brasileira. Entre eles: Drummond, Cassiano Ricardo, Menotti del Picchia, Raduan Nassar, Stella Leonardos, Walmir Ayala, Povina Cavalcanti, Alvaro Alves de Faria, etc.

Se você quiser ter acesso ao livro, é gratuito, basta clicar no link  https://www.recantodasletras.com.br/e-livros/198687


Publicado por Rubens Jardim em 25/06/2018 às 13h57
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
 
13/06/2018 14h37
ESTOU VENDENDO. COMPRE JÁ!

A edição desse livrinho de poemas inéditos foi inteiramente realizada por mim. Gostei do resultado. Mas como fui eu também que paguei, convido amigos a comprar e colaborar com este velho poeta que insiste em batalhar pela poesia mais alheia que própria.O livrinho custa 10 reais + despesa dos correios.Quem se interessar basta escrever para o meu endereço eletronico re.jardim@uol.com.br colocando endereço. Agradeço boa vontade.


Publicado por Rubens Jardim em 13/06/2018 às 14h37
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.



Página 13 de 78 « 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras